Governo federal decide propor privatização da Eletobras

Foto: Nadia Sussman/ Bloomberg

O Ministério de Minas e Energia divulgou nesta segunda-feira (21) que vai propor a redução da participação da União no capital da empresa, em processos similares à privatização da Vale. Por meio de um comunicado, o governo justificou que a medida “trará maior competitividade e agilidade à empresa para gerir suas operações, sem as amarras impostas às estatais”. Atualmente a União é detentora de diretamente 40,99% das ações da empresa –o BNDES tem 11,86% e fundos federais, outros 3,45%. “Esse movimento permitirá à Eletrobrás implementar os requisitos de governança corporativa exigidos no Novo Mercado, equiparando todos os acionistas – públicos e privados – com total transparência em sua gestão”, sugere o governo. De acordo com a Folha de S. Paulo, a empresa vem implementando um plano de corte de custos para tentar reduzir seu endividamento, que fechou o segundo trimestre em R$ 23,4 bilhões. “Os problemas decorrem de ineficiências acumuladas nos últimos 15 anos, que impactaram a sociedade em cerca de um quarto de trilhão de reais, concorrendo pelo uso de recursos públicos que poderiam ser investidos em segurança, educação e saúde. Não há espaço para elevação de tarifas nem para aumento de encargos setoriais. Não é mais possível transferir os problemas para a população. A saída está em buscar recursos no mercado de capitais atraindo novos investidores e novos sócios. O governo permanecerá como acionista, recebendo dividendos ao longo do tempo. A empresa passará a dar lucro e não prejuízo, o que beneficiará Estados e Municípios com o aumento na arrecadação de impostos”, afirmou o ministério, por meio de nota.

Ao se identificar seu comentário terá mais relevância.
EmoticonEmoticon