Facção Comando Vermelho ordena linchamento

Segundo a Polícia Militar, a vítima é suspeita de ter executado a esposa, por motivos passionais

Maria Suely e o marido seriam envolvidos com o tráfico de drogas. Ela teria sido morta por ele, a facadas
Clique para ampliar

Um homem foi linchado, nessa sexta-feira (2), na Comunidade do Lagamar, no bairro São João do Tauape, quatro dias após matar a própria esposa. A ordem de executá-lo teria partido de dentro de uma penitenciária e seria de membros da facção criminosa Comando Vermelho (CV), segundo o comandante da 1ªCia do 8ºBPM (Meireles), major Hideraldo Bellini.

De acordo com o oficial da PM, o homem, que ainda não foi oficialmente identificado, era o principal suspeito de ter matado a companheira, conhecida como Maria Suely. A mulher foi ferida com uma facada no pescoço, na última segunda-feira (29). O casal teria envolvimento com o tráfico de drogas na região, mas a motivação da morte de Maria Suely teria sido passional.

Os líderes do Comando Vermelho teriam ficado sabendo da morte e se posicionaram contra o assassinato. Por conta disto, o linchamento teria sido 'decretado' pelas redes sociais. Segundo o major da PM, um dos principais mandantes da execução seria o detento Rogério de Oliveira Cury, o 'Rogério Bocão', que é custodiado na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto (CPPL II), localizada no Complexo Penitenciário Itaitinga II.

Fuga

O suspeito de matar a esposa tinha fugido, após o crime. No entanto, voltou ao Lagamar e um segmento da facção criminosa, que domina a localidade conhecida como Cidade de Deus, tomou conhecimento.

De acordo com a Polícia, dezenas de pessoas atacaram o homem, durante a manhã de ontem, na Rua do Canal. Ele foi alvo de tiros disparados de uma pistola Ponto 40, facadas e pedradas. Depois do linchamento, ainda enfurecidas, as pessoas que cometeram a morte jogaram álcool e atearam fogo no corpo do homem.

O major Bellini esteve no local do crime e disse ter visto pelo chão 16 cápsulas da arma de fogo. No entanto, ele diz não saber se todos os projéteis atingiram à vitima. O bando responsável pelo linchamento fugiu e ninguém foi preso. A Polícia está diligenciando com o intuito de identificar os suspeitos.

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e da Perícia Forense do Ceará (Pefoce) estiveram no local do crime.

'Tribunal'


O tribunal do crime já fez outras vítimas em Fortaleza. Em algumas comunidades, as ordens dadas pelos criminosos são claras e não podem ser desobedecidas: não se pode roubar os moradores da comunidade, não se pode passar informação para a Polícia, não se pode ter envolvimento com companheiras de criminosos que estejam presos. O descumprimento dessas regras, podem ter sanções severas, determinadas pelas facções.

"Eles dão tiros nas mãos de quem rouba, espancam quem tenta roubar, matam o que chamam de X-9 (delatores). A lei do crime é muito severa. É muito perigosa essa ideia deles de serem regidos por outra lei, porque acabam se descuidando da Lei a qual todos nós somos subordinados. Esses 'tribunais' são uma das consequências absurdas do poderio dessas facções, que já foram longe demais", disse uma fonte da Polícia Civil, que preferiu não se identificar.
DN

Ao se identificar seu comentário terá mais relevância.
EmoticonEmoticon