'O presidente não está mais em condições de governar o Brasil', ressalta Marina Silva

Foto: PrintScreen / Facebook Marina Silva

Vista como pré-candidata ao Palácio do Planalto em 2018, Marina Silva apoia a convocação de eleições diretas junto à cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em um vídeo publicado em seu Facebook, a porta-voz da Rede ressalta a surpresa da população brasileira diante das gravações feitas pelo empresário da JBS, Joesley Batista. "O Presidente da República não está mais em condições de governar o Brasil. A fraude eleitoral de 2014 já sinalizava: Nem Dilma nem Temer teriam condições e legitimidade de conduzir o país", rechaça Marina. Segundo informações de O Globo, em uma ligação com Batista, Temer incentiva o pagamento de dinheiro ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, a fim de impedir que ele falasse sobre o governo (saiba mais aqui). No discurso, ela destacou que há apenas três alternativas para a política no Brasil nesse cenário atual. A primeira delas seria a renúncia de Temer e a segunda, a cassação da chapa, cujo processo será retomado no dia 6 de maio no TSE.
"Temos também o pedido de impeachment, apresentado pelo deputado da Rede, Alessandro Molon (RJ). O Congresso Nacional pode prestar um grande serviço para a sociedade brasileira, apresentando uma emenda que possibilita a nova eleição, uma eleição direta para que a sociedade possa fazer a escolha daquele que com base em um programa poderá fazer a transição nesse difícil momento que estamos atravessando", clama Marina.
por Ailma Teixeira

Ao se identificar seu comentário terá mais relevância.
EmoticonEmoticon