“Marcílio Voa Dois” e esposa faturavam quase dois milhões aplicando golpes em Quixadá, diz SSPDS

Civis fazendo as buscas na mansão do “Marcílio Voa 2"

Uma ação desencadeada pela Polícia Civil do Estado do Ceará, por meio das Delegacias Regional de Quixadá e as Municipais de Quixeramobim e Banabuiú, na manhã desta quinta-feira (25), resultou na captura de quatro pessoas envolvidas em um esquema criminoso de estelionato e lavagem de dinheiro. As prisões são resultados de uma operação desencadeada no último dia 16.

Conforme a SSPDS, foram presos Marcilio Jorge da Silva Cavalcante (39), o “Marcilio Voa Dois“, sem antecedentes criminais; Marilianny Patricio Nobre (30), que já foi presa por estelionato pela Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), em 2016; Osmildo Pereira Brito Neto (27), vulgo “Bodó”, sem antecedentes criminais; e Jone Kello da Silveira Lemos (29), que já responde um crime de violência doméstica. As prisões ocorreram nos bairros Curicaca, Campo Velho e Centro de Quixadá.

“O grupo chegava a movimentar cerca de um milhão e meio por ano, através de atividades fraudulentas”, afirmou o delegado Marcus Vinicius a assessoria da SSPDS. Ainda conforme o delegado, Marcilio e Marilianny são os chefes do esquema criminoso. Já Osmildo servia como “laçador” buscando arregimentar “laranjas” para emprestar contas bancárias para a movimentação criminosa. Um desses laranjas é Jone Kello.
Casa de luxo de “Marcílio Voa 2” no bairro Curicaca tem ar-condicionado até nos banheiros

Além das capturas, por força de mandados de prisão, a Polícia apreendeu diversos bens do bando. Foram apreendidos três veículos, jóias, relógios e talões de cheque. A Polícia Civil conseguiu ainda o sequestro de bens (que tem por finalidade apreender o bem do devedor do qual pende litígio) do grupo, como uma casa de luxo localizada no bairro Curicaca. “O grupo aparecia na cidade como empresários bem sucedidos, quando na realidade estavam enriquecendo de forma ilícita. Passamos a investigá-los e estamos desarticulando todo o esquema”, afirmou Marcus.


Detalhes desse caso
Operação ostentação: Polícia Civil prende mais quatro acusados de estelionato em Quixadá
Quixadá: Juíza nega liberdade para acusados de crimes de estelionato e associação criminosa
Delegado se diz surpreso com vazamento de interrogatórios de acusados de estelionato em QuixadáEstelionatários: Operação da Polícia Civil de Quixadá prende filho de empresário e comparsa
Homem apontado pela Polícia Civil como o maior estelionatário da região Central é preso em Quixadá

Operação Ostentação: Fase I

Nos últimos dias 16 e 17, a Polícia Civil iniciou a desarticulação de uma associação criminosa responsável por aplicar golpes milionários em agências bancárias. O grupo criminoso era composto por cinco integrantes. De acordo com o delegado Marcus Vinícius, que presidiu o inquérito policial, os levantamentos apontam que os homens conseguiam aproximadamente um milhão e meio, por ano, com os golpes aplicados. Um dos envolvidos ostentava uma vida de luxo, com carros, viagens e voos de helicóptero, nas redes sociais.

No último dia 16, foram capturados Rafael Rodrigues Pereira (28) – com antecedente criminal por estelionato; e Marcos Antônio da Silva Júnior (23) – sem antecedentes – que atuavam como “laranjas” no esquema criminoso. A dupla foi localizada no interior de uma agência bancária situada no Centro de Quixadá, quando se preparavam para sacar valores oriundos dos golpes. Nos veículos utilizados pela dupla para se deslocar até o banco, os policiais apreenderam mais de seis mil reais.


Já no dia 17, a Polícia capturou Rafael Ferreira Vieira (23) – conhecido por “Rafael Galinha” e com passagem pela Polícia por contravenção penal. Ele é apontado como o chefe do esquema criminoso.

Fonte: SSPDSPoliciais 
Revista Central

Ao se identificar seu comentário terá mais relevância.
EmoticonEmoticon