Traficantes de 6 estados são alvos da PF e têm R$ 7,5 milhões apreendidos

Aeronaves apreendidas no aeródromo sequestrado de Corumbá (Foto: PF/ Divulgação)

A Polícia Federal (PF) faz nesta terça-feira (28) a operação "All In" contra traficantes de drogas que agiam em Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo, Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais. A quadrilha teve cerca de R$ 7,5 milhões em bens, incluindo seis aeronaves e um aeródromo, e dinheiro apreendidos.

(Correção: ao ser publicada, esta reportagem errou ao informar que a quadrilha teve cerca de R$ 7,5 bilhões em bens apreendidos. Na verdade foram R$ 7,5 milhões. O erro foi corrigido às 12h42)

A PF cumpre 18 mandados de prisão cautelar, 25 mandados de busca e apreensão, além de sete mandados de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para depor, em 14 cidades dos seis estados. Participam cerca de 150 policiais.
Dinheiro apreendido pela PF nesta terça-feira estava em fundo falso (Foto: PF/ Divulgação)

Em Monte Carmelo (MG), foi feita a condução coercitiva às 6h. A pessoa foi encontrada na residência, levada à Polícia Federal, prestou depoimento e foi liberada.
No estado de São Paulo os mandados são em Campinas e Ribeirão Preto.

Bolívia - Brasil
Segundo informações da PF, o bando entrava com entorpecentes no Brasil com aeronaves e, a partir de Corumbá, a 415 quilômetros de Campo Grande, na fronteira com a Bolívia, distribuía para a região sudeste do país por via terrestre.


Além da apreensão de seis aeronaves e do aeródromo localizado na área rural de Corumbá, foram bloqueados também dinheiro de 68 contas correntes, sequestrados mais cinco imóveis e apreendidos 35 veículos adquiridos por meio de práticas criminosas. Parte do dinheiro apreendido estava em um fundo falso na residência do alvo principal.

Durante o período de investigação que resultou na operação, três integrantes da quadrilha foram presos em flagrante com 800 quilos de cocaína. As prisões foram feitas no momento em que os traficantes transportavam o entorpecente.

A operação foi batizada de “All In”, que é uma jogada típica do Poker em que o jogador aposta todas as suas fichas em uma mão de cartas, em alusão à forma impetuosa com que a quadrilha age, arriscando-se no transporte de grandes carregamentos de entorpecentes.
Cocaína apreendida durante investigação que resultou na operação (Foto: PF/ Divulgação)

Do G1 MS

Ao se identificar seu comentário terá mais relevância.
EmoticonEmoticon