Desaparecimento da menina Débora gera onda de boatos; comunicação falsa de crime é punível com multa

O secretário de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, já informou que as buscas pela menina Débora Lohany de Oliveira, de quatro anos, estão sendo intensas.


A motivação do possível rapto permanece sem resposta e a criança segue desaparecida, levando as autoridades a seguirem várias linhas de investigação.


Em meio à comoção popular sobre o caso, muitos boatos vêm circulando nas redes sociais. A SSPDS não divulga detalhes das buscas e investigação para seguir com os trabalhos, mas já descartou algumas das versões que vêm circulando.


Na última terça-feira (28), um homem amputado de um dos braços - que não teve o seu nome divulgado - foi ouvido pela Polícia, mas foi dado como inocente.


Um outro portador de deficiência física foi apontado como suspeito, por ter características parecidas com as do suposto sequestrador, de acordo com relatos de testemunhas. O homem chegou a ser ouvido na Delegacia de Combate à Exploração da Criança e Adolescente (Dececa), nessa quarta (29), mas não é considerado suspeito.


Mensagens em grupos do Facebook indicam que o corpo teria sido encontrado num matagal, no bairro Lagamar. Juntamente com o boato, circulam fotos da menina Débora e de um homem que seria o suposto assassino.


Usuários também estão encaminhando áudios pelo WhatsApp de uma mulher chorando, em que ela detalha o suposto achado de cadáver de Débora. No áudio, a mulher diz que o um carro do Rabecão teria sido encaminhado ao local e que o suspeito ainda estaria sendo procurado.


Até o fechamento desta matéria, essas versões não foram confirmadas e a criança não havia sido encontrada.



DN Online

Ao se identificar seu comentário terá mais relevância.
EmoticonEmoticon