TREINADOR DE ESCOLINHA DE FUTEBOL É PRESO POR ABUSAR DE CRIANÇAS

Em busca do sonho de se tornarem jogadores de futebol, dois primos, ambos de 11 anos, se matricularam em uma escolinha. O que as crianças não sabiam era que o treinador, José Darcy Romoaldo da Silva, de 48 anos, acabara de sair da prisão, onde permaneceu seis anos cumprindo pena por atentado ao pudor de sete vítimas.


Conforme a delegada Ivana Timbó, depois que saiu da prisão, Romualdo fundou uma escolinha de futebol em Fortaleza. Ele usava do meio de trabalho para ganhar a confiança das crianças, especificamente meninos.


A titular diz que, em depoimento, o suspeito comentou que optava pelos garotos de 12 a 16, anos, mas as últimas vítimas são crianças. “Ele falou que a preferência dele é por meninos na faixa de 12 a 16 anos, mas duas vítimas são de 11 anos.
Os abusos aconteciam na casa das próprias crianças”, relatou Ivana.




Em meio a uma rotina de amizade entre Romoaldo e os alunos, a delegada Ivana diz que os meninos eram constantemente presenteados pelo professor. “Todo menino vislumbra um dia ser um Neymar. Eram roupas, sapatos, vídeo game. Tudo o que as crianças gostavam", relatou.


A titular da Delegacia de Combate a Exploração Sexual da Criança e do Adolescente (Dececa) diz que, há três meses, o pai de uma das crianças flagrou o homem abusando do garoto dentro de casa. A situação fez com que o homem procurasse à Delegacia. O flagrante não foi possível, mas a delegada afirma que começou uma investigação, que resultou no mandado de prisão preventiva de Romualdo.


Na manhã desta segunda-feira, 22, o suspeito foi preso na própria residência, onde mora com a mãe, de 77 anos e um irmão. A titular da Dececa diz que os familiares desconfiavam da prática do professor e pediram que ele não levasse as crianças até a residência da família.


"Ele (preso) disse que a partir de agora vai procurar a Deus, que vai ser evangélico e no final de tudo falou que estava bastante arrependido. É complicado acreditar no arrependimento dele, pois se estivesse arrependido não teria reincidido", disse Ivana.


A delegada não descarta que existam outras vítimas. O bairro onde funcionava a escolinha não foi divulgado para não constranger as crianças. Existem sete inquéritos contra o homem por atentado ao pudor do ano de 2002.


Pais


A delegada alerta os pais a buscarem participar da rotina dos filhos. Verificar a procedência das escolinhas de futebol e das demais atividades da criança. A titular da Dececa alerta que a criança, quando sofre algum tipo de violência sexual, muda de comportamento.


"Insegurança, insônia e baixo rendimento escolar aparecem com presentes. Se o filho ou filha chega com presentes que não foram dados pela família, procure saber onde ele conseguiu", aconselha.





O POVO

Ao se identificar seu comentário terá mais relevância.
EmoticonEmoticon